“Moça, por que você não tem cabelo?”

Após ter a cabeça raspada, tratamento a todo vapor comprei uns turbantes e lenços e logo comecei a usar todos. Combinava com as roupas, com a maquiagem nos dias em que eu tinha forças para tal, obviamente. Entretanto, aqui nas terras do interior paranaense, o calor é do nível do insuportável, ou como diria minha amada Vani “Rui, é do xixi evaporar”. Eu passava muito calor com os apetrechos na cabeça, fora que até pegar as manhas das amarrações demorava muito tempo até algo ficar minimamente descente. Eu não usava nada diante dos meus familiares, e eles se acostumaram a me ver assim. Com o tempo parei de usar na frente dos amigos e nas sessões de quimio, mas ainda faltava o convívio social, a rua e etc.

Um dia me vi se escondendo atrás daquele pedaço de pano, não queria causar alvoroço, comentários ou perturbar a visão das pessoas, porque tudo que é incomum e diferente elas vão olhar, como nós um dia olhamos alguém com curiosidade. Em determinado dia, o calor era tanto que arranquei o turbante da cabeça no meio da rua em um ataque de fúria, porque eu NÃO gostava de usar aquilo. Decidi então abandonar todos os lenços, turbantes e afins para assumir para mim e para o mundo: sim, eu estava doente! Sim, todo mundo olhava e cochichava com o colega do lado, crianças fugiram de medo de mim, inclusive uma me perguntou no shopping “moça, por que você não tem cabelo?”  sfijdisfjodisfjoisdjfoisdf Crianças sendo sinceras, uma maravilha!

O ápice foi quando achavam que a careca era estilo, nossa eu me sentia um máximo. A careca me deixou famosa, dei duas entrevistas para o jornal da cidade, uma sendo de capa, junto com duas companheiras de tratamento falando sobre como enfrentávamos o câncer. Sai linda, careca e de batom vermelho na capa do jornal, um luxo! Eu não passava mais despercebida. Todos me conheciam pelo nome ou como “a menina de óculos vermelho e careca do jornal”. Fui reconhecida na rua por estranhos, tratada igual madame em lojas, restaurantes e confeitarias. Quem disse que ser careca não tem suas vantagens! As pessoas começaram a perceber o quanto fazia bem para elas serem gentis e amáveis com alguém que está comendo o pão que o diabo amassou. Perceberam enfim, que o paciente com câncer precisa de amor e afeto mais do que tudo. Minha auto estima foi nas alturas! Eu finalmente me sentia EU, me sentia livre, cheia de personalidade e estilo, no momento mais improvável da vida. Podem achar que é mentira, mas eu amei ser careca, mas também amei ver o cabelo crescendo de novo. Resumindo, se você está passando pela fase de perder os cabelos, compartilho que aprendi que até desgraça existe graça, por isso pense em técnicas e ações que possam te ajudar a lidar melhor com a perda dos cabelos. Só vou adiantar que quando você ficar bem (e você vai!), seu cabelo vai crescer um xuá.

Anúncios

2 comentários sobre ““Moça, por que você não tem cabelo?”

  1. Adorei, também deixei de usar os apetrechos em casa, só uso quando vou sair. E parei de me preocupar com a opinião dos amigos e parentes, com a cara de pena ou nojo. Sou mais eu e como digo sempre #somosmaisquecabelos.
    E me acho linda sem cabelos.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s