Lanie was right: “It is up to you to make your own history”

Tem vários dias da vida que acordamos de mau humor, tristes ou mal amados mesmo. Ainda são 7 da manhã quando a primeira reclamação aparece, seguida da reclamação as 7:01, a da 7:02 e assim vai. As 8 começamos a tratar os outros mal. Imagine ao meio dia como o nosso dia já está.

Quando se enfrenta o câncer, são tantos motivos para reclamar que uma hora você simplesmente cansa e começa a sorrir, mesmo para aquela enfermeira lesada que acha que te furar mil vezes, para achar a sua veia, não tem problema. A tolerância a dor física aumenta tanto que toda dor que as pessoas falam para mim eu não consigo enxergar porque tanto “mimimi” de reclamação, simplesmente por que teve que fazer um exame de sangue. Eu fiz tanto exame de sangue, que um dia tinha certeza que tomaria água e seria como um regador vazando. Foram 4 cirurgias, 4 pós operatórios, cateter na coluna, no pescoço e no colo agora, além da sonda nasogástrica, 3 sondas urinárias, 1 dreno no abdômen, 3 infecções nas cicatrizes, 2 vezes na UTI e por aí vai.

Esse processo me tornou até um pouco desumana e super anti fraterna, porque a dor do outro não chegava aos pés da minha. Entretanto, a vida foi me mostrando que cada um tem um limite e aquela dor para mim, insignificante, era a dor daquela pessoa e eu não tinha o direito de dizer que a minha era a maior.

O câncer é algo quase inexplicável, pois te mostra sem nenhum véu o que é a vida na real. A vida é pedreira, dificuldade, aprendizado diário e dói MUITO! Quem disse e aonde está escrito que a Terra é um local de felicidade verdadeira? Por sorte, as tempestades da vida passam e temos momentos de estiagem maravilhosos, naquele abraço do amigo, no apoio da família, naquele enfermeiro cheio de piada, no médico que come chocolate com você na quimio contando da sua vida, no carinho das atendentes do centro de Oncologia e naquela mordida em um hambúrguer, depois de três meses a base de Gatorade e água.

No fim das contas, você percebe que o câncer só te ensina a viver e você fica furiosa atrás do cabra que disse um dia que câncer é sinônimo de morte. Morrer todos vamos, uns na velhice, outros na infância, de acidente ou doença. Para morrer não tem idade, religião ou jeito, a gente morre e pronto, #partiu vida eterna, vida espiritual, o além, céu, inferno, purgatório, umbral ou seja lá no que você acredita.

Por fim, a grande conclusão é que se acordamos vivos hoje é para viver o melhor que der e não viver mal amado/amada, reclamando, sendo chato e atirando nas pessoas como se elas não tivessem sentimentos. Faz um teste: 1 dia sem reclamar e perceba como você será mais feliz.

Agora me deem licença que eu vou ali viver o melhor que eu posso.

Anúncios

Um comentário sobre “Lanie was right: “It is up to you to make your own history”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s